ENTREVISTA: Pedro Fontes

sexta-feira, 20 de outubro de 2017 Nenhum comentário
        Olá, tudo bem? (Agora imagine isso sendo falado com a voz daquele jornalista da record). Nesse clima de brincadeira que trago para vocês uma das entrevistas que eu mais gostei de fazer. Com um autor incrível da Editora Skull.



Sobre o Autor:

           Pedro Fontes nasceu na cidade de Volta Redonda no Estado do Rio de Janeiro. Virginiano, estudante do curso Bacharel em Nutrição, leitor voraz, blogueiro resenhista de livros, cinéfilo desde os 6 anos de idade, amante dos gêneros Terror, Mistério/Suspense, Romances de Época ou livros com temas inovadores e viciado em café desde sempre, é também um autor nacional.

          Começou a escrever desde pequeno quando digitava histórias já prontas no computador. Alguns anos depois, ainda menor, escreveu um conto investigativo no Power Point, onde o simples fato de juntar textos e figuras o deixava feliz e animado. Anos depois, criou um antigo blog onde colocaria histórias agora mais sérias. E tempo depois, porém mais maduro, começaria a escrever o seu primeiro livro oficialmente.

           Aos 17 anos tornou-se autor da sua primeira obra-prima do gênero Terror: Possuído – O Pentagrama, obra que inicia a saga: “Possuído”. Possuído – O Pentagrama seria apenas um simples conto, mas acabou se transformando em algo maior. Além de assistir a muitos filmes e ser aficionado pelo gênero, a ideia surgiu de escrever sobre um mundo onde os temas eram: o sobrenatural, o diabólico, exorcismos, possessões, símbolos, demônios e tudo o que estiver ligado a isso.

          Atualmente aos 20 anos, além de dar continuidade a saga e prometer para o futuro novas histórias que instiguem a curiosidade e gosto dos leitores, está concluindo seu segundo livro sendo agora um romance de temática LGBT.


Nossa Entrevista:

 1- Quando e como surgiu a ideia de seu livro?

        Dizer “quando” a ideia surgiu é muito difícil, porque sempre a tive na cabeça, mas não coloquei no papel. A ideia foi bem fácil, isso quase nunca acontece com um autor, não é? (Risos). Eu sei que o mundo tem histórias e gêneros muito saturados, histórias que ninguém aguenta mais ler. Há pessoas como eu que ainda querem investir nesses gêneros saturados, mas querem fazer algo diferente. No meu caso, foi com a temática LGBT. Eu sei que tem muitas histórias LGBT’s e que a maioria envolva sexo e as histórias não tem histórias, é só sexo. Também sempre usam um adolescente como personagem que sofre preconceito, isso quando não são romances homoeróticos, aí voltamos à questão do sexo sem história. Então, a minha ideia é totalmente ir contra a tudo isso, literalmente remar contra a maré. Criar um romance utilizando personagens adultos, onde meu protagonista e narrador da história tivesse problemas cotidianos a resolver e aí sim, encaixar um romance e falar do preconceito que sempre tem. Ah, e fugir do sexo. Eu sei que as pessoas estão procurando histórias desse tipo e não acham, então espero conseguir cativar a todos com essa “novidade” (risos).


  2- Como você encara os preconceitos criados pela sociedade para a sua obra?

       Eu tento encarar da melhor forma que der. Eu sei que há preconceito literário em geral e principalmente com obras LGBT. É difícil querer que as pessoas entendam, respeitem e sejam inclusivas, mas espero que eu possa fazer alguma diferença com a minha história.



3- Qual a melhor e a pior coisa que ser escritor já lhe proporcionou?

          A melhor coisa é sempre receber os feedbacks positivos dos seus leitores. Não tem coisa melhor do que ouvir comentários de pessoas que adoraram aquilo que você dedicou tempo e toda a sua vida para escrever e publicar. A pior coisa eu não tive. Só tive coisas boas que ser escritor me proporcionou!
 

4- Tem outros livros planejados pela frente?

        Escritor sempre tem! (Risos). Agora que finalmente terminei meu romance, posso voltar a escrever a minha saga de terror, que é o meu próximo projeto.


5- Se pudesse deixar uma mensagem para todos que estão lendo isso, o que falaria?

          Bom, espero que gostem da entrevista, quero agradecer à Maiara Silva por me convidar. Vocês podem me acompanhar nas redes sociais e todos os meus trabalhos, espero poder mostrar o meu melhor, espero que gostem das minhas obras e quero mostrar também que a literatura nacional é tão boa quanto a estrangeira. Confie e dê uma chance aos autores nacionais!

Outros Links: 

Amor e Preconceito I:  Compre Aqui.
Amor e Preconceito II: Compre Aqui.


RESENHA: Diários de extermínio, a guardiã

sábado, 14 de outubro de 2017 2 comentários

Paginas: 270

Autor: B. R. Peruzzo

Editora: Skull editora!



O livro titulado Diários de extermínio: a guardiã, é o primeiro de uma saga,  escrita pelo Peruzzo um autor gaúcho que me fez suspirar, ficar nervosa e surpresa em vários pontos desta história, que com toda certeza meche muito com nossa curiosidade. 


ENTREVISTA: Marta Viana

sexta-feira, 6 de outubro de 2017 1 Comentário
     Oiie gente! Hoje é dia de entrevistar nossa querida Marta Viana autora de " A solidão de um Lutador".




        A autora mora em Manaus Amazonas, sempre foi apaixonada por leituras, desde muito cedo começou a ler, era viciada em ler gibis, mas o que mais a fascinava eram os livros de romances. Adorava ouvir historias e sempre criava na cabeça várias delas.

          Vive mais no mundo da fantasia que no mundo real, é sonhadora e nas suas histórias todos são felizes, já basta o mundo real com tanta violência não é mesmo? Escrever foi um desafio que ela mesma se propôs, no começo foi apenas uma brincadeira e já são quase seis livros escritos e ela não imaginava que seria capaz de criar historias tão lindas? Pois é ela criou e tem orgulho de si mesma. Sempre ouse sonhar, um dia alguém aparece e realiza seu sonho.



1- Como surgiram as ideais dos seus livros?

       Bom assim que conheci a plataforma do wattpad, era apenas leitora. De repente me bateu uma vontade de escrever um livro, e eu consegui escrever, e tô aqui até hoje.

2- Ser escritora é?

        Viver em um mundo fantástico, e eu amo!

3- Qual a sensação de estar lendo os comentários sobre seus livros?


        Maravilhosos, eu adoro interagir com meus leitores.

4- Um medo que você tinha quando decidiu publicar sua história:

          Medo das críticas maldosas, ou ser ignorada.

5- Por que as pessoas deveriam ler seu livro??

         Por que eu falo da realidade, nos meus livros eu sempre abordo temas que todos que leem já passou, ou conhece alguém que está passando por aquilo.


Outros Links: 







 
Desenvolvido por Michelly Melo.